UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 17 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: THAYS SAYNARA ALVES MENEZES
15/07/2014 16:59


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: THAYS SAYNARA ALVES MENEZES
DATA: 31/07/2014
HORA: 14:00
LOCAL: SALA 2 - PPGAGRI
TÍTULO: CONSERVAÇÃO IN VITRO E ACLIMATIZAÇÃO DE EPIDENDROIDEAE (ORCHIDACEAE) DO ESTADO DE SERGIPE
PALAVRAS-CHAVES: Orquídeas, crescimento lento, sais MS, manitol, sorbitol, aclimatização.
PÁGINAS: 55
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

As orquídeas consideradas as mais antigas entre as espécies ornamentais, são plantas herbáceas, perenes. Diversificada quanto ao tamanho, à forma dos caules e folhas e à cor das flores, agrega a estas plantas um alto valor comercial. Objetivou-se com o presente trabalho o desenvolvimento de protocolos de conservação in vitro sob crescimento lento e aclimatização de orquídeas Catasetum macrocarpum Rich. ex Kunth., Oeceoclades maculata Lindl. e Polystachya estrellensis Rchb.f. do Estado de Sergipe. Os experimentos foram conduzidos no Laboratório de Cultura de Tecidos e Melhoramento Vegetal do Departamento de Engenharia Agronômica (DEA) da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Foram realizados dois experimento de conservação, ambos em DIC, sendo o primeiro o fatorial 3x3x2, sendo três combinações de fontes de carbono e reguladores osmóticos (20 g.L-1 de sacarose; 10 g.L-1 de sacarose + 5 g.L-1 de manitol; 10 g.L-1 de sacarose + 5 g.L-1 de sorbitol), três espécies (Catasetum macrocarpum, Oeceoclades maculata e Polystachya estrellensis) e duas temperaturas (18 e 25ºC) e o segundo o fatorial 4x3x2, sendo quatro concentrações de sais do meio MS (100%, 75%, 50%, 25% dos sais), três espécies (Catasetum macrocarpum, Oeceoclades maculata e Polystachya estrellensis) e duas temperaturas (18 e 25ºC). Para a aclimatização o experimento foi em DIC, utilizando os substratos (areia, húmus de minhoca, pó de coco e casca de pinus triturada) e duas espécies (Catasetum macrocarpum e Oeceoclades maculata). Para Catasetum macrocarpum, Oeceoclades maculata e Polystachya estrellensis podem ser conservadas in vitro pelo período de 450 dias com 25% dos sais MS à temperatura de 25ºC. Para a conservação in vitro por um período de 450 dias deve-se utilizar 20 g.L-1 de sacarose para Catasetum macrocarpum a temperatura de 25ºC. A utilização de 20 g.L-1 de sacarose a temperatura de 18ºC conserva explantes de Oeceoclades maculata e Polystachya estrellensis por no mínimo 450 dias de cultivo. A aclimatização da espécie Catasetum macrocarpum pode ser realizada utilizando o substrato areia + pó de coco + húmus de minhoca (2:2:1), apresentando resultados favoráveis para o cultivo da espécie. Para orquídeas da espécie Oeceoclades maculata o melhor substrato para aclimatização foi areia.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANA CATARINA LIMA DE OLIVEIRA
Externo ao Programa - 2586933 - MARIA APARECIDA MOREIRA
Presidente - 2307480 - MARIA DE FATIMA ARRIGONI BLANK

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16088-62c448d53e