UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: POLLIANA BARBOSA PEREIRA DOS SANTOS
15/07/2014 14:28


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: POLLIANA BARBOSA PEREIRA DOS SANTOS
DATA: 01/08/2014
HORA: 14:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: OBTENÇÃO E CARACTERIZAÇÃO FÍSICO-QUÍMICA DE COMPLEXOS DE INCLUSÃO UTILIZANDO O ÓLEO DE LIMONENO EM α E β-CICLODEXTRINAS
PALAVRAS-CHAVES: limoneno, ciclodextrina, isopreno, complexo de inclusão, monoterpeno, óleos essenciais, terpenos, Docking.
PÁGINAS: 100
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O limoneno (LIM) é um monoterpeno monocíclico, 4-isoprenil-1-metil-ciclo-hexeno, de fórmula molecular C10H16. É um dos principais constituintes de vários óleos essenciais de frutas cítricas. Pode ser obtido através do sumo de frutas cítricas, como laranja, tangerina e limão. Dentre os óleos essenciais encontrados nos cítricos em geral, o R-(+)-limoneno é seu componente majoritário, podendo atingir concentrações de 90 a 96%. As ciclodextrinas (CDs) são oligossacarídeos cíclicos, mais comumente encontradas com seis, sete ou oito unidades de glicose unidas por ligações do tipo α-1,4’-glicosídica, denominadas respectivamente de α-CD, β-CD e γ-CD. São obtidas pela ação da enzima ciclomaltodextrina glucanotransferase (CGTase) sobre o amido. A estrutura da CD é a de um cone truncado com grupamentos de hidroxilas de glicose direcionados para o exterior do cone, determinando um caráter hidrofílico à camada sua externa. Enquanto na parte interna, ligações do tipo carbono-carbono dão um caráter apolar e, portanto, hidrófobico à molécula. As CDs são capazes de formar complexos de inclusão, alterando as propriedades físicas e químicas dos compostos complexados. Moléculas hidrofóbicas, ou parcialmente hidrofílicas, têm uma maior afinidade pela cavidade das CDs em soluções aquosas. Essa complexação é realizada com finalidades que vão desde proteger, estabilizar, aumentar e até reduzir ou eliminar características químicas e físicas em um determinado composto. O objetivo deste trabalho foi preparar e caracterizar físico-químicamente complexos de inclusão de limoneno em α e β-ciclodextrina, estudando as propriedades do suposto complexo formado. Tal complexo foi preparado através das técnicas de mistura física, malaxagem e co-evaporação, e foi caracterizado através da análise térmica (calorimetria exploratória diferencial-DSC e termogravimetria/termogravimetria derivada-TG/DTG);Cromatografia gasosa acoplada a espectrometria de massas-CG/MS; Difração de raios X-DRX; Espectrofotometria de absorção na região do infravermelho com transformada de Fourier-FTIR; Microscopia eletrônica de varredura-MEV, Docking. As análises realizadas demonstraram que tanto a α-CD quanto a β-CD formaram complexos de inclusão com o limoneno. No entanto, nas curvas DSC da α-CD que correspondem ao método da MF, mostrou ser ineficiente para a formação dos complexos de inclusão. Já para os métodos de MA e CE foi possível observar um perfil diferente daquele observado para α-CD pura e MF. Nas curvas DSC para β-CD, observou-se que para o método CE apresentou perfil endotérmico mais significativo do que os métodos de MF e MA. De acordo com as análises TG/DTG para α-CD pode-se observar que o perfil termoanalítico dos complexos obtidos pelo método da MF, MA e CE foram semelhantes a -CD. A Figura das curvas TG/DTG da β-CD, MF, MA e CE apresentam um perfil termoanalítico similar aos complexos obtidos com a α-CD. Após a avaliação das perdas de massa, pode-se atribuir a MA a maior capacidade de complexação com o limoneno. Nos resultados para o CG/EM para α-CD foi possível observar que o MA encapsulou o limoneno em uma razão de 1:0,49 (limoneno: α-CD), mas em uma razão inferior ao CE 1:18,11 (limoneno: α-CD). Mostrando desta forma que a CE foi o melhor método, e para β-CD pode-se observar que não exibiu nenhuma complexação na MF e MA. Já a CE mostrou uma eficiência de complexação igual a 1:1,44, sendo assim considerado o melhor método de complexação quando comparado com o CE da α-CD. No padrão de difração de raios X da MF mostrou ser bastante similar aos encontrados da para a α-CD e β-CD puras. Esse é um indicativo da baixa eficiência de complexação. Ao observar as reflexões da MA e CE, pode-se verificar o surgimento de novos picos e a ausência de picos característicos da α-CD e β-CD puras. Na análise dos espectros correspondentes aos complexos de inclusão obtidos pelos métodos da MF, MA e CE é possível observar um perfil muito semelhante entre todas as amostras. Elas se assemelham a espectro da α-CD pura devido aos complexos terem sido preparados em razão molar (limoneno 136,24 g/mol e α-CD 972 g/mol). No entanto, algumas variações foram encontradas principalmente no espectro da amostra obtida por MA. Na análise do espectro para β-CD que correspondem aos complexos de inclusão obtidos pelos métodos da MF, MA e CE observa-se que o complexo obtido pelo método da MA e CE mostraram-se mais acentuadas sugerindo-se assim uma melhor eficiência de complexação para esses métodos. Diante dos resultados obtidos na MEV, foi possível evidenciar que o método mais eficaz foi a CE em β–CD. No docking Os resultados teóricos apresentaram variações de energia após a formação dos complexos de inclusão, onde a α-CD gasta menos energia na interação ligante e enzima.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2445308 - ADRIANO ANTUNES DE SOUZA ARAUJO
Interno - 1334092 - FRANCILENE AMARAL DA SILVA
Externo à Instituição - GERSON ANTONIO PIANETTI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5