UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 24 de Junho de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: CLÉVERTON DE OLIVEIRA MENDONÇA
10/07/2014 17:39


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CLÉVERTON DE OLIVEIRA MENDONÇA
DATA: 29/07/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Sala multiuso do PPEC
TÍTULO: Influência de diferentes estágios sucessionais na composição e riqueza de liquens na Caatinga
PALAVRAS-CHAVES: Sucessão ecológica, atributos funcionais, floresta tropical seca, bioindicadores, fungos liquenizados
PÁGINAS: 95
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Ecologia
SUBÁREA: Ecologia de Ecossistemas
RESUMO:

Os processos sucessionais em florestas tropicais seguem uma progressão de estágios durante os quais as florestas apresentam um enriquecimento gradual de espécies e um aumento em complexidade estrutural e funcional. Ações estocásticas resultadas do comportamento dos componentes das populações e espécies definem a sucessão florestal, onde fatores bióticos e abióticos em uma comunidade conduzem as estratégias ecológicas de diversidade de uma determinada comunidade de acordo com filtros ambientais locais e regionais. Os liquens são organismos que possuem uma complexa relação sucessional dentro da floresta, pois respondem a fatores espaciais e temporais, e ao mesmo tempo, são bioindicadores de qualidade ambiental. Neste sentido, o presente estudo tem como objetivo analisar a riqueza e a composição de espécies de liquens corticícolas ao longo de um gradiente de sucessão florestal na Caatinga, e verificar a possibilidade da utilização de atributos funcionais de liquens como indicadores dos estágios de sucessão florestal neste tipo de vegetação. O trabalho foi realizado em três áreas de diferentes estágios sucessionais na Caatinga do Alto Sertão Sergipano, em dois municípios do estado. Foram coletadas 1460 amostras, distribuídas entre as áreas inicial, intermediária e avançada. Desse total, 119 espécies foram identificadas, compreendendo 17 famílias e 47 gêneros. A riqueza difere entre os estágios de sucessão, onde os maiores valores estão para o estágio inicial, seguidos pelo avançado e intermediário. Dentre os fatores ambientais amostrados, o pH do período chuvoso é o único que afeta a riqueza. Com relação à composição, há uma clara separação dos estágios, onde o estágio avançado se diferencia do inicial e intermediário e são influenciados pelos fatores pH, DAP, luminosidade, elevação. A diversidade beta é maior para o estágio avançado, que possui uma composição mais heterogênea em relação ao inicial e intermediário, os quais compartilham espécies entre si. Com relação aos atributos funcionais, é perceptível a variação da abundância e a correlação bioindicadora dos estágios de sucessão. Os resultados demonstram que a comunidade de liquens responde à sucessão natural e é influenciada por fatores bióticos e abióticos. Logo, espera-se que este trabalho venha contribuir para ampliar os conhecimentos ecológicos sobre os liquens na Caatinga, servindo como ponto inicial para pesquisas complementares e inovadoras que contribuam para a conservação deste bioma.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1861452 - ANA PAULA ALBANO ARAUJO
Externo à Instituição - JOSÉ LUIS BEZERRA
Presidente - 1662824 - MARCELA EUGENIA DA SILVA CACERES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r15440-bf36319aa9