UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: RACHEL DINIZ CORREIA DE ARAUJO
02/07/2014 09:37


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: RACHEL DINIZ CORREIA DE ARAUJO
DATA: 21/07/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 27 NPGME
TÍTULO: DOENÇA HEPÁTICA NÃO GORDUROSA NA DEFICIÊNCIA DO GH
PALAVRAS-CHAVES: GH, IGF-I, DHGNA, Deficiência isolada de GH
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

A doença hepática gordurosa não alcoólica (DHGNA) é conhecida por ser associada à resistência insulínica, aterosclerose e baixos níveis de IGF-I. Descrevemos uma coorte com deficiência isolada de GH (DIGH) devido à mutação c.57+1G→A no gene do receptor do hormônio liberador do GHRH com obesidade visceral, sensibilidade à insulina (SI), aumentada mas com aterosclerose tardia e longevidade normal. Formulamos a hipótese de que apesar da obesidade visceral, a DHGNA seria ausente ou leve, devido o aumento da SI. O objetivo do presente trabalho é avaliar a freqüência e severidade da DHGNA na DIGH. Estudamos 22 adultos com DIGH e 25 controles (CO), pareados por idade e gênero. A DHGNA foi avaliada por um painel abrangente da função hepática e um padrão ultrassonográfico hiperecogênico (HP), codificado como 0 = ausente; 1 = leve; 2 = moderada; e 3 = grave. Em comparação com CO, indivíduos com DHGNA apresentaram concentrações menores de IGF - I (p < 0,0001), maior colesterol total (p = 0,027), reduzido tempo de protrombina (p = 0,017), e valores semelhantes de tempo de tromboplastina parcial ativado e do fibrinogênio. Os valores da ALT foram semelhantes em ambos os grupos, mas os da AST foram maiores nos indivíduos com DIGH (p = 0,013). No entanto, o numero de indivíduos com ALT acima do limite superior da normalidade foi maior no grupo DIGH (7 / 22) de que no CO (3/23), (p = 0,044). HP foi superior em DIGH do que nos CO (p = 0,041), mas não foi observada DHGNA grave em qualquer indivíduo com DIGH (ou CO). Em conclusão, o escore do HP é maior nos indivíduos com DIGH não tratada. No entanto, o aumento de transaminases é suave, sugerindo ausência de formas avançadas de DHGNA na DIGH.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1544894 - ALEX VIANEY CALLADO FRANCA
Externo ao Programa - 3204497 - FRANCISCO DE ASSIS PEREIRA
Interno - 1695058 - MARCO ANTONIO PRADO NUNES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5