UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 22 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: DAYSE REGINA ALVES DA COSTA
08/05/2014 09:20


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DAYSE REGINA ALVES DA COSTA
DATA: 23/05/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de Aula 27 Centro de Pesquisas Biomédicas
TÍTULO: AVALIAÇÃO DA INCAPACIDADE CERVICAL E SUA ASSOCIAÇÃO COM DOR MIOFASCIAL MASTIGATÓRIA E HIPERSENSIBILIDADE MECÂNICA GENERALIZADA
PALAVRAS-CHAVES: Disfunção Temporomandibular. Dor Miofascial. Limiar de Dor à Pressão. Incapacidade Cervical.
PÁGINAS: 57
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Fisioterapia e Terapia Ocupacional
RESUMO:

Introdução: As dores relacionadas às disfunções temporomandibulares (DTM) e desordens cervicais possuem alta prevalência na população e a associação entre os sinais e sintomas de DTM e disfunção cervical é bastante evidenciada na literatura. Apesar disso, revisões sistemáticas foram publicadas recentemente a respeito deste tópico e ambas chegaram a conclusões pouco claras, destacando a necessidade de novas evidências. Objetivos: Comparar o grau de incapacidade cervical entre os indivíduos com dor miofascial mastigatória e controles assintomáticos, avaliar a associação entre incapacidade cervical e intensidade da dor e limiar de dor à pressão em áreas/sítios trigeminais e extra-trigeminais e avaliar a correlação entre esses limiares. Casuística e Métodos: Dois grupos compuseram este estudo controlado e de corte transversal: grupo I foi composto por 27 indivíduos diagnosticados com dor miofascial de acordo com os critérios da versão brasileira de diagnóstico em pesquisa para DTM (RDC/DTM),e grupo II, composto por 28 controles assintomáticos. As variáveis clínicas avaliadas foram: o auto-relato de incapacidade cervical determinado por meio do Neck Disability Index (NDI); a intensidade da dor medida pela escala visual analógica (EVA); o limiar de dor à pressão da articulação temporomandibular, dos músculos temporal anterior, masseter, esternocleidomastóideo, trapézio superior e do tendão de aquiles, mensurado por meio de um algômetro digital. Resultados: A incapacidade cervical foi significativamente maior no grupo com dor miofascial (11,8 ± 7,0) em relação ao grupo de controles assintomáticos (2,7 ± 2,4). Em contraste o LDP foi significativamente menor no grupo I em relação ao grupo II, nas diferentes áreas de mensuração como temporal anterior (2,0 ± 0,8 vs. 2,6 ± 1,1), trapézio superior (2,6 ± 1,2 vs. 3,8 ± 1,8) e tendão de aquiles (5,6 ± 1,4 vs. 6,9 ± 2,3). Foi verificada uma correlação negativa entre incapacidade cervical e o LDP de todas as estruturas avaliadas e uma correlação positiva ocorreu entre os valores de LDP de áreas trigeminais e extra-trigeminais (p<0,05). Conclusão: Os indivíduos com dor miofascial mastigatória apresentam hipersensibilidade mecânica generalizada, que também está associada com o auto-relato de incapacidade cervical.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1546210 - LEONARDO RIGOLDI BONJARDIM
Interno - 1347234 - KARINA CONCEICAO GOMES MACHADO DE ARAUJO
Externo ao Programa - 2283033 - ANA PAULA DE LIMA FERREIRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12692-c69972fb69