UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: TANIA MARIA VIEIRA SOUZA
17/02/2014 09:09


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TANIA MARIA VIEIRA SOUZA
DATA: 06/03/2014
HORA: 09:00
LOCAL: sala 27 Centro de pesquisas biomédicas
TÍTULO: Farmacogenômica da Leishmaniose Visceral Humana
PALAVRAS-CHAVES: Citocromo P450; Farmacocinética; Fenotipagem; Leishmaniose visceral.
PÁGINAS: 65
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Medicina
RESUMO:

Estudos em seres humanos e em animais de laboratório têm indicado que os processos infecciosos e as doenças inflamatórias modulam a expressão e a atividade das enzimas do complexo citocromo P450 (CYP), bem como de outras enzimas envolvidas na biotransformação de medicamentos e proteínas relacionadas aos processos de absorção e excreção de xenobióticos. Nesse contexto, o objetivo deste trabalho foi investigar a ocorrência de alterações farmacocinéticas, especificamente em relação ao metabolismo de medicamentos mediado por enzimas citocromo P450 no fígado durante a leishmaniose visceral (LV) humana, e o efeito do tratamento com antimonial pentavalente ou com anfotericina nas alterações farmacocinéticas observadas. Trata-se de uma pesquisa descritiva, transversal, desenvolvida em uma unidade de internamento de um hospital escola vinculado à Universidade Federal de Sergipe, referência no diagnóstico e tratamento da LV no Estado. Foram recrutados 24 pacientes com LV, sendo 09 tratados com Antimonial Pentavalente (Glucantime), 11 com Anfotericina B e/ou Anfotecina B Lipossomal e 04 com Glucantime associado à Anfotericina B ou Anfotericina B Lipossomal. Apenas um paciente não foi considerado curado ao final do tratamento. O estudo foi realizado em quatro etapas: antes do início do tratamento, imediatamente após o término do tratamento (3 a 5 dias depois), sessenta e noventa dias após o término do tratamento. Em cada etapa, os pacientes ingeriram os medicamentos omeprazol (substrato do CYP3A4), losartano (substrato do CYP2C9) e midazolam (substrato do CYP2C19), os quais foram usados como prova da atividade das enzimas para as quais são substratos. Foi realizada coleta de amostras de sangue (5 ml) dos pacientes antes da administração desses medicamentos, e 15, 30, 45 minutos e 1, 2, 3, 4, 5 e 6 horas após a administração dessas drogas. Também foi coletada toda a urina produzida nas 8h seguintes à ingestão dos medicamentos e separada uma alíquota de 20 ml. A cromatografia líquida de alta eficiência acoplada à espectrometria de massas (LC-MS-MS) foi utilizada para quantificação dos medicamentos e seus metabólitos nas amostras coletadas. Os resultados mostraram que houve predomínio da doença no sexo masculino entre os participantes do estudo, e que a maioria dos casos ocorreu em pacientes com idade entre 18 a 38 anos, residentes na zona urbana. Quanto ao quadro clínico, estiveram presentes emagrecimento, febre, hepatomegalia e mal estar em todos os participantes. Foi demonstrado que a atividade das enzimas CYP3A4, 2C9 e 2C19 encontra-se reduzida durante o curso da LV, mas aumenta após o tratamento. Não foram encontrados na literatura estudos do impacto da LV no metabolismo de medicamentos em seres humanos ou em modelos animais; os resultados aqui encontrados poderão auxiliar na orientação de ajustes na terapêutica de outros pacientes com essa parasitose.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 426722 - ANGELA MARIA DA SILVA
Interno - 1315121 - DIVALDO PEREIRA DE LYRA JUNIOR
Externo ao Programa - 2208516 - ROBERTA PEREIRA MIRANDA FERNANDES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5