UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: CLENIO BEZERRA DE MELO
05/02/2014 11:24


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: CLENIO BEZERRA DE MELO
DATA: 21/02/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de aula Centro de Pesquisas Biomédicas
TÍTULO: MAPEAMENTO DAS CONDIÇÕES AMBIENTAIS FAVORÁVEIS AO DESENVOLVIMENTO DA ESQUISTOSSOMOSE NA REGIÃO SUL DO ESTADO DE SERGIPE.
PALAVRAS-CHAVES: Esquistossomose, Analise Espacial, Sergipe, Risco à Saúde.
PÁGINAS: 213
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

O reconhecimento das alterações causadas na paisagem pelo homem, podem modificar o padrão da transmissão das doenças parasitárias. A esquistossomose é uma das principais doenças de veiculação hídrica e a degradação ambiental, a pobreza e o subdesenvolvimento são fatores determinantes para sua ocorrência. O conhecimento da variação espacial e temporal da incidência das doenças concomitantemente com situações ambientais especificadas é importante para o planejamento de ações de prevenção e controle das mesmas. As doenças infectocontagiosas e parasitarias apresentam-se como excelentes indicadores pela importância no quadro de saúde da população, pelas taxas de incidência ou interações de causa/efeito junto aos fatores ambientais. Seria de grande interesse, portanto, obter-se um sistema de planejamento ambiental territorial que contemplasse o ambiente integrado e relacionado a fatores ambientais, que poderiam favorecer ou não o desenvolvimento de um determinado agente patogênico. O mapeamento destes agravos e áreas de risco exige uma ferramenta que facilite a captura, armazenamento, manipulação, análise, demonstração e relatos de dados referenciados geograficamente, ou seja, um sistema de informação geográfica. Neste trabalho é defendida a hipótese de que a análise da dinâmica de uma doença, como a esquistossomose mansoni, necessita da identificação dos fatores de risco (indutores) relacionados à transmissão do agravo, que se dá pelo prévio conhecimento da biologia do agente envolvido e a consequente localização dos elementos que, de alguma forma estejam relacionados ao ciclo de vida destes organismos na paisagem.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1544894 - ALEX VIANEY CALLADO FRANCA
Interno - 1347234 - KARINA CONCEICAO GOMES MACHADO DE ARAUJO
Interno - 1695058 - MARCO ANTONIO PRADO NUNES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307