UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: LORENA MACHADO
04/02/2014 17:18


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LORENA MACHADO
DATA: 19/02/2014
HORA: 14:00
LOCAL: SALA 2 - NEREN
TÍTULO: POTENCIAL DO CAPIM-VETIVER COMO COMPONENTE DE BIOENGENHARIA DE SOLOS PARA ESTABILIZAÇÃO DE TALUDE MARGINAL DO SÃO FRANCISCO
PALAVRAS-CHAVES: Chrysopogon zizanioides, erosão marginal, densidade de raízes, reforço do solo, resistência do solo à penetração.
PÁGINAS: 57
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

As alterações do regime hídrico sofridas no Rio São Francisco, devido à implantação de hidrelétricas, estão causando baixos níveis de água e consequentemente erosões nos taludes pelo solapamento da sua base. Essas alterações, juntamente ao desmatamento da mata ciliar requerem medidas economicamente viáveis e eficientes, visto que vêm afetando a população do Baixo São Francisco. Assim, este estudo teve o objetivo de avaliar o sistema radicular do capim-vetiver quanto à capacidade de reestruturação físico-mecânica do solo e à adequação ao processo de estabilização da erosão dos taludes, como também avaliar o seu efeito na resistência do solo à penetração (RP). Mudas de vetiver foram plantadas no talude marginal experimental do Baixo São Francisco Sergipano. Para avaliar a influência da gramínea na resistência ao cisalhamento do solo, foram mensuradas a Densidade Radicular (DR), a Densidade do Comprimento Radicular (DCR), a Razão de Raiz por Área (RAR), a Resistência de Raízes à Ruptura (TR) e a Coesão da Raiz (CR). Os resultados foram submetidos à análise de variância (p<0,05) utilizando o SISVAR e em seguida realizou-se a análise de regressão polinomial. Para avaliar a RP, foram realizadas amostragens em pontos localizados próximos ao capim-vetiver e nas entrelinhas de cultivo, ao longo do perfil até a profundidade de 0,60 m. O teor de umidade foi determinado por pesagem, a RP por um penetrômetro automatizado, a análise granulométrica por densimetria e a densidade de raízes pelo método do monólito. Os resultados da RP, da umidade e da densidade de raízes foram submetidos à análise de variância (p<0,05) e posteriormente as médias foram comparadas pelo teste de Tukey usando o software SISVAR. Para DR, DCR e RAR, a camada de 0-0,10 m apresentou maiores resultados com 4,84 kg m-3, 12,45 km m-3, 1,66%, respectivamente. Enquanto que o resultado médio de TR foi de 83 MPa e o de CR de 528 kPa. Os pontos próximos ao capim-vetiver apresentaram RP média de 1793,94 kPa e umidade média de 11,78 kg kg-1, diferindo estatisticamente dos pontos amostrados nas entrelinhas de cultivo. A RP e a umidade do solo não diferiram estatisticamente nas profundidades. Ao final do estudo concluiu-se que o capim vetiver promoveu a cobertura do solo, favorecendo a maior retenção de água e, consequentemente, diminuindo a RP, além de favorecer o aumento da resistência ao cisalhamento do solo, auxiliando na estabilização de taludes.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1201910 - FRANCISCO SANDRO RODRIGUES HOLANDA
Externo ao Programa - 1316620 - ALCEU PEDROTTI
Externo à Instituição - MÁRIO MONTEIRO ROLIM

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16088-62c448d53e