UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: EUGENIA HERMINIA OLIVEIRA VALENCA
28/01/2014 12:32


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: EUGENIA HERMINIA OLIVEIRA VALENCA
DATA: 21/02/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Sala de aula Centro de Pesquisas Biomédicas
TÍTULO: ANÁLISE ACÚSTICA DOS FORMANTES EM INDIVÍDUOS COM DEFICIÊNCIA ISOLADADO HORMÔNIO DO CRESCIMENTO
PALAVRAS-CHAVES: Hormônio do Crescimento;Estatura; Voz; Acústica.
PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

A voz é produzida pela vibração das pregas vocais, cujo número de ciclos por segundo corresponde à frequência fundamental (f0) do sinal laríngeo. A frequência da ressonância do trato vocal,na posição articulatória das sete vogais representa os formantes(F),múltiplos da f0: primeiro (F1), segundo (F2), terceiro (F3) e quarto (F4).F1 relaciona-se àabertura da mandíbula, posicionamento vertical da língua na cavidade oral,vogais altas [i-u], médias [ê, é,ô, ó], baixa [a];F2avanço e recuo da língua no plano horizontal, vogais anteriores [i, ê, é] eposteriores [u, ô, ó].F3 se relaciona às cavidades à frente e atrás do ápice da língua; F4 ao formato e altura da laringee da faringe.Identificamos uma coorte de indivíduos com deficiência isolada de GH (DIGH), causada pela mutação homozigótica c.57 +1 G>A no gene do receptor do hormônio liberador do GH, com baixa estatura acentuada,redução das medidas craniofaciais lineares, especialmente do comprimento da maxila econstrição laríngea.Avoz dos indivíduosDIGH apresentam f0 elevada, independentemente da idade e gênero.O objetivo deste trabalho foi avaliara frequência de F1, F2, F3 e F4 das sete vogais do português brasileiro em indivíduos com DIGH. Foi realizado um estudo transversal com 33 indivíduos com DIGH com 44,48(17,60) anos,16 mulheres; e 29 controles com 51,10(17,65) anos, 15 mulheres,por meio da espectrografia acústica computadorizada.Adicionalmente, foi analisado um subgrupo de 13 homens (5 com DIGH) e 20 mulheres (9 com DIGH) acima de 50 anos de idade.Os valores das frequênciasdos formantes expressos em média (desvio padrão) ouem mediana (distância interquartílica). A comparação entre grupos foi feita pelos testes t de StudenteMann-Whitney,e adistinção da vogal no mesmo formante pelo teste t pareado.Comparados aos controles, homens DIGHapresentam valores elevados das frequênciasF3[i,é]p=0,006; p=0,011, respectivamente e F4[i]p=0,001 emulheres DIGH, os valores elevados das frequências:F1[i,ê] p=0,020; p=0,036;F2[ó] p=0,006; F4 [ó] p=0,053. Na DIGH,homens e mulheres têm valores de frequências dos formantes similares, exceto: F1[a, é, ó] p<0,0001 p<0,0001p=0,013, respectivamente.Acima de 50 anos, em comparação aos controles, identificam-se emhomens DIGH valores menores de F1[i,ô] (p=0,042; p=0,040); F4 [é, i]p=0,021; p=0,008; eem mulheres DIGH valoresmaioresde F1[é] (p=0,018).Homens DIGH não apresentam em F1 a distinção altura da vogal nos pares:F1 [i-ê] [u-ô]; nem a distinção vogal anterior-posterior em F1, evidente nos controles e mulheres DIGH.Em conclusão, indivíduoscom DIGHapresentam frequências de formantes elevadosem concordância à redução harmônica das dimensões faciais, da maxila e mandíbula.A relação vogal cavidade na configuração do trato vocal na DIGH sugeremos principais ajustes: no plano vertical, altura da língua e constrição na cavidade faríngea (F1);no plano horizontal, eixo anterior-posterior, redução da cavidadeoral (F2);equilíbriocavidade anterior oral/ cavidade posterior- faríngea, exceto em homens;(F3);trato vocal encurtado (F4). O efeito da idade na voz parece ser minimizado, acima de 50 anos em ambos os gêneros.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 991949 - JEFERSON SAMPAIO DAVILA
Externo à Instituição - LUIZ ALVES DE OLIVEIRA NETO
Interno - 426294 - VALDINALDO ARAGAO DE MELO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5