UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 30 de Janeiro de 2023

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de DEFESA: BENJAMIN LEONARDO ALVES WHITE
15/01/2014 10:53


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: BENJAMIN LEONARDO ALVES WHITE
DATA: 11/02/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Prodema/Sala02
TÍTULO: MODELAGEM MATEMÁTICA E AVALIAÇÃO DO COMPORTAMENTO DO FOGO EM LITEIRA DE EUCALIPTO.
PALAVRAS-CHAVES: Incêndios florestais, BehavePlus, proteção florestal.
PÁGINAS: 196
GRANDE ÁREA: Outra
ÁREA: Ciências Ambientais
RESUMO:

Incêndios florestais são catástrofes naturais onde o fogo se propaga de forma descontrolada sobre qualquer tipo de vegetação. À medida que passou a ser dada uma maior importância à preservação da biodiversidade, e a silvicultura ganhou espaço no cenário econômico, surgiu a necessidade do desenvolvimento de pesquisas mais específicas, a fim de reduzir as consequências negativas advindas dos incêndios florestais. Os primeiros estudos de modelagem do comportamento do fogo surgiram ainda na primeira metade do século XX e tiveram como objetivo caracterizar o comportamento do fogo e auxiliar nas operações de prevenção e combate. Apesar de, desde então, diversos modelos terem sido criados, até o presente momento, não existia nenhum específico para estimar o comportamento do fogo em plantações de eucalipto no Brasil. Sabendo que as características da vegetação e do clima irão exercer uma forte influência no modo em que o fogo irá se comportar, este trabalho teve como objetivo principal, caracterizar o provável comportamento do fogo em liteira de eucalipto na área de estudo e desenvolver modelos matemáticos específicos para descrever a velocidade de propagação, comprimento das chamas, consumo do material combustível e tempo de queima. Além disso, foi avaliada a eficiência do simulador do comportamento do fogo BehavePlus, e traçada recomendações de prevenção e combate ao fogo dentro da área de estudo. O passo inicial para cumprir com os objetivos propostos foi caracterizar os povoamentos de eucalipto. A área definida para servir de padrão foi o litoral norte da Bahia, região que apresenta a maior área plantada de eucalipto do Nordeste. A caracterização foi feita através de amostragem destrutiva, onde foram definidos os valores médios para a carga de material combustível, espessura do leito e densidade do leito do material combustível, dados estes que serviram de base para a realização de 105 queimas experimentais em laboratório. Todas as variáveis do material combustível e climáticas que, porventura pudessem influir no comportamento do fogo, foram controladas e mensuradas em todos os experimentos. Com base nos valores das variáveis dependentes e independentes, foram construídos modelos matemáticos de regressão linear multivariada utilizando-se o procedimento foward stepwise. Todos os modelos construídos foram significativos estatisticamente e apresentaram bom desempenho medido através do R2. O modelo mais eficiente foi o modelo alternativo do tempo de queima (R2 = 0,84; p < 0,0001), seguido pelo modelo alternativo do comprimento das chamas (R2 = 0,79; p < 0,0001), pelo do consumo do material combustível (R2 = 0,68; p < 0,0001) e pelo da velocidade de propagação (R2 = 0,65; p < 0,0001). Ao comparar os dados da velocidade de propagação e do comprimento das chamas simulados pelos modelos aqui desenvolvidos e simulados pelo BehavePlus versus os dados obtidos experimentalmente, foi alcançado um melhor desempenho estatístico para os modelos aqui criados. Sendo assim, é recomendada a sua utilização para simular o comportamento do fogo em vegetação de eucalipto em regiões com aspectos climáticos e vegetacionais semelhantes ao da área de estudo. Em função da diferença entre os dados simulados pelo BehavePlus e os dados experimentais, que foram bastante subavaliados, não é aconselhável o uso do BehavePlus na área de estudo. Modelos matemáticos de ajuste das simulações do BehavePlus para os dados experimentais foram desenvolvidos para minimizar esta discrepância. Os dados em laboratório sugerem que, normalmente, os incêndios em liteira de eucalipto podem ser apagados sem maiores dificuldades atacando diretamente a frente do fogo, em casos específicos com muito vento, inclinação e material extremamente seco, o ataque direto não adiantará e será necessária a utilização de equipamentos de grande porte.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 388007 - ADAUTO DE SOUZA RIBEIRO
Externo à Instituição - ALEXANDRE BEUTLING
Externo ao Programa - 1352277 - GENESIO TAMARA RIBEIRO
Interno - 2579022 - GREGORIO GUIRADA FACCIOLI
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA
Presidente - 279481 - ROSEMERI MELO E SOUZA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2023 - UFRN v3.5.16 -r18277-8067e35817