UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: JOAO CARLOS CARVALHO QUEIROZ
10/01/2014 11:50


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOAO CARLOS CARVALHO QUEIROZ
DATA: 20/02/2014
HORA: 09:00
LOCAL: Sala de aula Centro de Pesquisas Biomédicas
TÍTULO: AVALIAÇÃO DOS POSSÍVEIS EFEITOS ANTINOCICEPTIVO E ANTI-INFLAMATÓRIO DO ÓLEO ESSENCIAL DA Xylopia laevigata (Mart.) R.E. Fries (Annonaceae) EM ROEDORES
PALAVRAS-CHAVES: Efeitos antinociceptivos; anti-inflamatório; plantas medicinais; dor; Xylopia laevigata.
PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Saúde Coletiva
RESUMO:

Introdução: A utilização de plantas medicinais como abordagem terapêutica da dor pode ser considerada rotineira para o tratamento de saúde, principalmente em países em desenvolvimento. Estudar os efeitos biológicos de novas substâncias é imprescindível para que possa dá origem a agentes analgésicos com efeito prolongado, maior seletividade e baixo custo; Nas últimas décadas tem-se empenhado esforços na procura de novas drogas analgésicas e é nos produtos naturais onde se encontram importantes fontes destas substâncias. O gênero Xylopia L. pertencente à família Annonaceae é reconhecido pelas suas propriedades medicinais, dentre as quais atividade antimicrobiana e citotóxica, além de ser reconhecido como importante analgésico. Objetivos: O estudo teve como objetivo geral investigar o efeito antinociceptivo e anti-inflamatório do óleo essencial da X. laevigata (OEXL) em roedores. Esse trabalho foi dividido em 2 capítulos; o primeiro capítulo Prospecção e o segundo capítulo que trata do efeito do OEXL. A prospecção foi realizada tendo como base os pedidos de patente depositados no European Patent Office (Espacenet), na World Intellectual Property Organization (WIPO), e no Banco de dados do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI) do Brasil. O foco da pesquisa foi a utilização das plantas medicinais como abordagem terapêutica da dor. As palavras-chave utilizadas foram: Plantas medicinais, dor, Annonaceae e Xylopia laevigata. Diante de evidências e com base na literatura, observa-se a necessidade de investigação da provável ação antinociceptiva e anti-inflamatória do óleo essencial da X. laevigata. Método: Foram utilizados camundongos Swiss machos, pesando 25 a 35 gramas, com 2 a 3 meses provenientes do Biotério Central da Universidade Federal de Sergipe (UFS). Após definido o processo para obtenção do OEXL e os testes farmacológicos preliminares, definiu-se os testes para avaliar a atividade antinociceptiva do OEXL: Teste de Contorções Abdominais, Teste da Formalina e o Teste da Placa Quente; para avaliar a atividade anti-inflamatória, definiu-se o Teste do Edema de Pata Induzido por Carragenina, e o Teste da peritonite induzida por Carragenina; Para avaliar a atividade anti-hipernociceptivo do OEXL, o Teste de Hipernocicepção induzida por Carragenina, Teste de Hipernocicepção induzida por Prostaglandina, o Teste de Hipernocicepção induzida por TNF-α, Teste de Hipernocicepção induzida por Dopamina, A avaliação da hipernocicepção através do Analgesímetro digital de von Frey; A avaliação imunohistoquímica por Imunofluorescência para FOS; Resultados: Os resultados obtidos mostram que o OEXL possui atividade anti-inflamatória e antinociceptiva significativa em roedores e que provavelmente exerça efeito antinociceptivo por mecanismos inibidores centrais, não produzindo alterações na coordenação motora. Conclusão: Que os resultados encontrados suportam o uso terapêutico na medicina popular do Nordeste brasileiro como um analgésico e remédio anti-inflamatório.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1467719 - LUCINDO JOSE QUINTANS JUNIOR
Externo ao Programa - 2891169 - ROSANA DE SOUZA SIQUEIRA BARRETO
Externo ao Programa - 1687696 - WALDECY DE LUCCA JUNIOR

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12712-85cc87cea5