UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: JOSE CRISTIAN GOES
18/12/2013 16:27


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: JOSE CRISTIAN GOES
DATA: 20/01/2014
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do pólo de pós-graduação
TÍTULO: PEDAGOGIA DA BARBÁRIE: O ENQUADRAMENTO SENSACIONALISTA NO JORNALISMO COMO ESTRATÉGIA DE CRIMINALIZAÇÃO DA POBREZA.
PALAVRAS-CHAVES: Jornalismo; Sensacionalismo; Enquadramento; Representação Social; Criminalização da pobreza.
PÁGINAS: 34
GRANDE ÁREA: Ciências Sociais Aplicadas
ÁREA: Comunicação
RESUMO:

Este trabalho está em fase de desenvolvimento com conclusão prevista até novembro de 2013. Ele é apresentado aqui de forma bastante resumida, apenas como requisito para o Exame de Qualificação. Ao final, essa pesquisa pretende ter contribuído com uma análise qualificada de um instigante fenômeno jornalístico: o sensacionalismo. O objeto é a produção no Jornal Cinform, um periódico semanal que circula as segundas-feiras em Aracaju/SE. Além de ser um produto jornalístico consolidado, esse objeto ganha relevância porque o jornalismo ali exercido não é de um todo caracterizado como sensacionalista e muito menos pode ser reconhecido como de referência. Essa condição híbrida é desafiadora porque exige a definição, com clareza, da opção pelo sensacionalismo em algumas de suas edições. Em razão dessa delimitação, a amostragem a ser investigada será composta pela manchete principal, identificada rigorosamente como sensacionalista e a reportagem dela decorrente. Para dar maior consistência ao estudo vão ser examinadas as manchetes/reportagens de 2008 a 2012, em toda pesquisa. A hipótese central desenvolvida nesse trabalho é de que o Jornal Cinform emprega em alguns acontecimentos um tipo específico de enquadramento, o sensacionalista. Essa opção contribui para reafirmar pedagogicamente representações sociais estereotipadas que criminalizam a pobreza, além de atender interesses mercadológicos da empresa jornalística. Até este Exame de Qualificação foi percorrida uma importante revisão teórica de apresentação e clarificação do conceito do sensacionalismo e da inserção desse fenômeno na história do jornalismo. Também foram produzidas abordagens teóricas que objetivam conectar o sensacionalismo com a constituição das representações sociais. A teoria de base que está sendo utilizada na pesquisa é a do estudo do enquadramento (framing) no jornalismo. Ela dialoga, com segurança, com as principais abordagens do sensacionalismo e das representações sociais. Na metodologia, este trabalho se valeu de técnicas combinadas, como a análise de conteúdo, entrevistas semi-estruturadas e análise documental. Foi realizado um piloto para aplicação teórico-metodológica com as manchetes/reportagens do Jornal Cinform no ano de 2010. Os primeiros resultados indicam para a confirmação da hipótese central da pesquisa, ou seja, da existência de um framingsensacionalista na redação que vai reafirmar representações sociais criminalizadas da pobreza. Esse resultado ainda preliminar aponta indícios de que esse enquadramento pode produzir uma prática pedagógica redacional institucionalizada, que contraria princípios éticos do jornalismo.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ALFREDO VIZEU PEREIRA JÚNIOR
Presidente - 1045250 - CARLOS EDUARDO FRANCISCATO
Interno - 1228210 - JOSENILDO LUIZ GUERRA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307