UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: QUENNIA GARCIA MORENO RESENDE
23/10/2013 15:30


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: QUENNIA GARCIA MORENO RESENDE
DATA: 13/11/2013
HORA: 09:00
LOCAL: a ser definido
TÍTULO: Estudo de formação de microemulsões contendo óleo essencial de Citrus sinensis (L.) Osbeck: Efeito dos co- tensoativos e avaliação da interação das microemulsões com modelo de estrato córneo.
PALAVRAS-CHAVES: Microemulsão, óleo Citrus sinensis, co-tensoativos, nifedipina, estrato córneo
PÁGINAS: 98
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

As microemulsões (MEs) são sistemas dispersos, termodinamicamente estáveis, isotrópicos,
transparentes, estabilizados por um filme interfacial de compostos tensoativos. Neste trabalho foram
obtidas MEs a partir de diferentes co-tensoativos (etanol-ET, isopropanol-ISO e propilenoglicol-PG),
óleo essencial de Citrus sinensis (L.) Osbeck (OECS), Tween 80®
e tampão fosfato (pH 5.0). Os co-tensoativos foram selecionados por serem toleráveis pela pele. Logo, o objetivo do trabalho foi avaliar
a influência de co-tensoativos na formação de MEs contendo Tween 80, OECS e avaliar a influência da
nifedipina (NFD) na estrutura dos sistemas formados. As MEs foram obtidas pela construção de
diagramas de fase pseudo-ternário com o propósito de avaliar a influência do co-tensoativo na zona
de formação das MEs. A razão tensoativo/co-tensoativo (T/Cot) foi de 1:1. A caracterização estrutural
desses sistemas foi obtida por Microscopia de Luz Polarizada (MLP), ensaios de condutividade elétrica
e espalhamento de raios-X a baixo ângulo (SAXS). De cada diagrama de fases, foram selecionadas duas
formulações, cujo critério foi o sentido de fases, na região de O/A e bicontínuas, nas quais a NFD foi
incorporada. As formulações foram reavaliadas pelas técnicas citadas para observar a influência da
NFD e caracterizadas por pH, tamanho de gotícula, IPD, tensão superficial e reologia.Estudos de
interação com modelo de estrato córneo (EC) foram realizados através das técnicas de Calorimetria
exploratória diferencial (DSC) e Espectroscopia na região de infravermelho com transformada de
Fourier (FTIR). Nos diagramas foi observada uma maior região de formação das MEs para o ISO, acima
de 40% da quantidade de T/Cot, ao contrário do ET e PG, que apresentaram essa maior área, acima de
60% e 70% de T/Cot, respectivamente. Ao avaliar a condutividade elétrica foi observado que o
aumento do volume de fração aquosa proporcionou um aumento na condutividade. Na região de 30%
a 70% de fase aquosa, o aumento na condutividade não foi linear, sendo um indicativo que estruturas
bicontínuas foram formadas e acima de 70% de fase aquosa, a condutividade aumentou linearmente,
indicando a formação de estruturas O/A. As curvas de SAXS, para cada diagrama, demonstraram que
todos os sistemas foram característicos de estruturas micelares, onde, foram observados picos
alargados e centralizados na região q e a medida que o conteúdo aquoso foi adicionado, as curvas
foram se deslocando para menores valores de q, denotando assim, a formação de estruturas com
maiores dimensões. Logo, a partir dos resultados obtidos, a NFD foi incorporada em duas formulações
de cada diagrama. As Mes apresentaram-se como sistemas estáveis, isotrópicos, translúcidos,
tamanho de gotículas entre 16 e 34 nm, IPD abaixo de 0.5 e pH na faixa de 5.64 a 6.07, compatíveis
com a pele e com o pH de estabilidade do fármaco. As MEs apresentaram redução da tensão superficial, sendo que as formulações contendo ISO apresentaram um valor de tensão (24.764 mN/m) inferior aos demais co-tensoativos (ET- 29.512 mN/m e PG- 31.784 mN/m), resultado semelhante ao inserir a NFD nas formulações, confirmado pela avaliação do diâmetro de gotas e obtenção do diagrama de fases. As MEs apresentaram comportamento newtoniano, com os índices de consistência (k) maiores nas formulações com proporções mais elevadas de T/Cot, resultado que corroborou com as estruturas observadas por SAXS. Nos ensaios de condutividade para cada co-tensoativo, as MEs
foram classificadas como bicontínuas e O/A, confirmando os resultados obtidos para as formulações
na ausência do fármaco. As técnicas de DSC e FTIR demonstraram a possível utilização desses sistemas como promotores de permeação cutânea, a partir da evidenciação das interações proporcionadas com o modelo de EC. Portanto, os diagramas elucidaram a influência do co-tensoativo na área de formação de MEs e os sistemas obtidos não sofreram interferência do fármaco, sugerindo a sua utilização como promotores de permeação para a NFD em aplicação sobre a pele.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 1334092 - FRANCILENE AMARAL DA SILVA
Externo à Instituição - LEANDRO RAMOS SOUZA BARBOSA
Presidente - 2337777 - ROGERIA DE SOUZA NUNES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307