UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 06 de Dezembro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: IGOR ALEXANDRE OLIVEIRA SANTOS
03/10/2013 16:56


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: IGOR ALEXANDRE OLIVEIRA SANTOS
DATA: 30/10/2013
HORA: 14:00
LOCAL: Auditório do PRODEMA
TÍTULO: ESTUDO EPIDEMIOLOGICO E AVALIAÇÃO DO TRATAMENTO PROPOSTO AOS PACIENTES COM INTOXICAÇÃO AGUDA POR CACAÍNA E CRACK, ATENDIDOS NO CENTRO DE ASSISTÊNCIA TOXICOLOGICA DE SERGIPE (CEATOX) NO PERÍODO DE JULHO DE 2009 À JULHO DE 2013.
PALAVRAS-CHAVES: crack, cocaína, intoxicação por Crack, intoxicação por cocaína, CIATOX.
PÁGINAS: 45
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

O uso da cocaína vem crescendo nos últimos anos, principalmente na forma fumada
(base livre), conhecida como crack. O início mais rápido e intenso dos efeitos psicoativos e
o baixo custo aumentam sua capacidade de desenvolver dependência e a busca pela droga.
Além disso, seu uso ilegal e indiscriminado está diretamente associado com a criminalidade e o
desenvolvimento de diversas complicações a saúde sendo considerado um problema social.
A avaliação do tratamento destes pacientes deve nos revelar um quantitativo dos pacientes
com recidivas e se o método utilizado é efetivo. A partir destes dados pode-se avaliar também
se há no sistema uma referência e contra referência no sistema de saúde que ampare estes
pacientes. Bem como um levantamento epidemiológico acurado ajudará sem dúvidas a
alavancar projetos para direcionar mais recursos com o objetivo de melhorar o atendimento a
estes pacientes.
Diante do exposto é de suma importância avaliar dados que amparem o estrago que essas
drogas vêm provocando na sociedade. Vale ressaltar que a ocupação de leitos de hospital por
usuários de drogas ainda que seja um caso de saúde pública onera um sistema de saúde já
obsoleto e coloca um número grande de pacientes em muitos casos sem qualquer problema
crônico ou agudo de saúde, que não o uso de drogas, a ocupar leitos que poderiam ser
utilizados por idosos ou por pacientes com desordem mais graves de saúde. Convém lembrar
que políticas públicas de combate ao tráfico poderiam minimizar o uso e assim reduzir estes
custos.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1686576 - FERNANDO JOSE MALAGUENO DE SANTANA
Interno - 1718309 - DULCE MARTA SCHIMIEGUEL MASCARENHAS LIMA
Externo ao Programa - 2894237 - LYSANDRO PINTO BORGES

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18160-36a7f68df5