UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Setembro de 2021


Notícias

Banca de DEFESA: TATIANA NASCIMENTO SILVA
12/06/2013 18:16


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: TATIANA NASCIMENTO SILVA
DATA: 26/06/2013
HORA: 14:00
LOCAL: SALA 2 NEREN
TÍTULO:

QUALIDADE PÓS-COLHEITA DE CULTIVARES DE BANANEIRA EM DOIS CICLOS DE PRODUÇÃO


PALAVRAS-CHAVES:

Musa, qualidade de frutos, genótipos, produtividade


PÁGINAS: 53
GRANDE ÁREA: Ciências Agrárias
ÁREA: Agronomia
RESUMO:

O estudo das características físico-químicas em pós-colheita dos frutos da bananeira contribui com indicativos de qualidade dos frutos, servindo como parâmetro para escolha de cultivares para cultivo em determinada região. O objetivo deste trabalho foi avaliar a qualidade pós-colheita dos frutos das cultivares e híbridos de bananeira, em dois ciclos de produção nas condições edafoclimáticas dos Tabuleiros Costeiros, Sergipe, visando à caracterização e seleção de materiais. O experimento foi implantado no Campo Experimental Jorge do Prado Sobral da Embrapa Tabuleiros Costeiros, no município de Nossa Senhora das Dores, Sergipe, área de Tabuleiros Costeiros. As análises pós-colheita foram realizadas no Laboratório de Ecofisiologia da Embrapa Tabuleiros Costeiros, situada em Aracaju-SE. Foram avaliados 12 caracteres agronômicos: comprimento do fruto, diâmetro do fruto, peso do fruto com casca, peso do fruto sem casca, relação polpa/casca, sólidos solúveis totais, acidez total titulável, ratio, açúcar redutor, açúcares totais, amido e pH de 13 genótipos de bananeira, provenientes da Rede Nacional de Avaliação de Genótipos de bananeira do Programa de Melhoramento da Embrapa: do tipo Prata (FHIA-18; PA42-44; PV94-01; Garantida; YB42-47; Pacovan; Prata-Anã), do tipo Maçã (Princesa; Tropical; Maçã), do tipo Caipira (Caipira), do tipo Gros Michel (Bucaneiro) e do tipo Mysore (Thap Maeo), no segundo e terceiro ciclo de produção. O delineamento experimental foi em blocos casualizados com três repetições Os dados foram submetidos à análise de variância e procedeu-se a correlação linear entre os caracteres avaliados. Com o uso do algoritmo de Gower, foi elaborado um dendrograma com as matrizes de distância obtidas por meio das análises agronômicas e físico-químicas do frutos em cada ciclo. Foram observadas diferenças significativas para as variáveis comprimento do fruto, diâmetro do fruto, peso do fruto com casa, peso do fruto sem casca, relação polpa/casca, teor de sólidos solúveis totais, acidez total titulável e açúcares redutores. Com a divergência genética média usada como ponto de corte, foram identificados quatro agrupamentos no segundo ciclo: grupo G1, formado pelos genótipos FHIA-18, PA94-01, Caipira, YB42-47, Thap Maeo, Princesa, Tropical, Maçã e Pacovan; G2, pelos genótipos PA42-44 e Prata Anã; G3, pelo genótipo Garantida e G4, pelo genótipo Bucaneiro. Também foram identificados quatro agrupamentos no terceiro ciclo: G1, pelos genótipos FHIA-18, PA42-44, PA94-01, Garantida, YB42-47, Thap Maeo, Prata Anã, Princesa, Maçã e Pacovan; G2, pelo genótipo Caipira; G3, pelo genótipo Tropical e G4, pelo genótipo Bucaneiro. O genótipo Bucaneiro demonstrou-se promissor para ser incorporado ao sistema de produção do bananicultor em Sergipe Os caracteres açúcares totais, peso do fruto com casca, amido e peso do fruto sem casca contribuem com grande parte da variabilidade genética entre os 13 genótipos de bananeira avaliados.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 523.499.506-20 - ANA DA SILVA LEDO
Interno - 1562875 - LUIZ FERNANDO GANASSALI DE OLIVEIRA JUNIOR
Externo à Instituição - ALVARO SILVA LIMA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16088-62c448d53e