UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 20 de Outubro de 2020


Notícias

Banca de DEFESA: ANA MARIA GUEDES DE BRITO
19/03/2013 14:53


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: ANA MARIA GUEDES DE BRITO
DATA: 22/03/2013
HORA: 09:00
LOCAL: Sala 01 do Polo de Pós-Graduação
TÍTULO:

'' Avaliação da atividade do óleo essencial de Cymbopogon citratus (DC) Stapf e Citral contra leishmaniose visceral.''


PALAVRAS-CHAVES:

Produtos naturais, plantas aromáticas, Cymbopogon citratus e Citral, leishmaniose visceral.


PÁGINAS: 88
GRANDE ÁREA: Ciências Biológicas
ÁREA: Farmacologia
SUBÁREA: Farmacologia Clínica
RESUMO:

A necessidade de novos fármacos mais eficazes, seguros e acessível para o tratamento das leishmanioses, em especial a visceral, posto, acomete fígado, baço, sistema reticuloendotelial, medula óssea e linfonodos torna-se relevante. Além disso, no Brasil as leishmanioses atingem 19 estados, sendo que mais de 90% dos casos humanos da doença concentram-se na região Nordeste, havendo ainda focos importantes nas regiões Centro-Oeste, Norte e Sudeste. Estudos sinalizam para a ocorrência de cerca de 20.000 novos casos anuais da doença. De acordo com a OMS, as espécies vegetais são a melhor e maior fonte de fármacos para humanidade e o Brasil possui 60,7% do seu território de florestas naturais e plantadas, representando a segunda maior área florestal do mundo, atrás apenas da Rússia. Assim, esse estudo objetivou investigar as atividades do óleo essencial de Cymbopogon citratus e seu composto majoritário Citral contra Leishmania (L.) chagasi. Para tal, obteve-se o óleo das folhas fresca colhidas na fazenda Mãe Terra, localizada em Santana do São Francisco/SE, já o Citral foi adquirido da Sigma-Aldrich (Darmstadt, Germany).  Foram realizadas suas Cromatografias Gasosas e FID para identificar seus constituintes químicos, bem como avaliação das concentrações inibitórias 50% nas promastigotas e amastigotas na Leishmania supracitada, ensaios de citotoxicidade, produção de oxido nítrico e fluorescência para detectar possível aumento da permeabilidade da membrana em presença do Citral foram desenvolvidos. Atividades farmacológicas foram constatadas em promastigotas (CI50/48 horas 25µg/mL para óleo e Citral), entretanto, não foi encontrada ação nas amastigotas. A citotoxicidade (CI50 foi de 26,25µg/mL para óleo e 33,96µg/mL para Citral). Não ocorreu aumento na produção de oxido nítrico. No entanto, foi observada formação de poros nas membranas celulares das promastigotas em presença de Citral. Acredita-se que, os compostos alvos desse estudo podem vir a serem usados como medida preventiva contra leishmaniose visceral. Uma vez que as promastigotas são as formas que infectam os animais vertebrados, inclusive o homem.


MEMBROS DA BANCA:
Externo ao Programa - 1865109 - ALLAN PABLO DO NASCIMENTO LAMEIRA
Externo à Instituição - EDNA ARAGAO FARIAS CANDIDO
Presidente - 004.457.544-00 - LAURO XAVIER FILHO
Interno - 2190308 - MARCIO ROBERTO VIANA DOS SANTOS
Interno - 2178474 - ROBERTO RODRIGUES DE SOUZA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2020 - UFRN v3.5.16 -r12646-2c874e3307