UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 21 de Fevereiro de 2024

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


PROFHISTOR

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM ENSINO DE HISTÓRIA

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Notícias

Banca de DEFESA: VIVIANE ANDRADE DOS PASSOS
18/02/2024 12:07


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VIVIANE ANDRADE DOS PASSOS
DATA: 29/02/2024
HORA: 13:30
LOCAL: DID 7, sala 302
TÍTULO: Sequências didáticas para uma abordagem sobre História da Mulheres e a violência doméstica no ensino de História
PALAVRAS-CHAVES: Ensino de História. Cidadania e Direitos Humanos. Gênero. Violência doméstica contra a mulher. Aprendizagem Histórica. Sequência Didática.
PÁGINAS: 306
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: História
SUBÁREA: História do Brasil
ESPECIALIDADE: História do Brasil República
RESUMO:

A presente dissertação trata da elaboração de sequências didáticas que promovam o ensino de História das Mulheres e da Violência Doméstica contra as mulheres em turmas de 9º ano do Ensino Fundamental de modo integrado aos conteúdos do componente curricular de História. Adota a metodologia quanti qualitativa: de um lado, a aplicação de um questionário diagnóstico sobre as condições sociais dos(as) alunos(as) e avaliação do conhecimento sobre violência doméstica contra as mulheres e Lei Maria da Penha; de outro, a pesquisa bibliográfica com análise e seleção de produções em livros, artigos científicos, dissertações, teses, arquivos digitais e páginas de websites. Parte-se do pressuposto de que a abordagem aqui proposta promova aos(às) discentes o conhecimento e a reflexão sobre o papel feminino na sociedade contemporânea, levando-os(as) a questionarem as violências e as invisibilidades existentes nos espaços públicos e privados que atingem as mulheres. A pesquisa resulta na produção de sequências didáticas que possibilitam aos(às) professores(as) de História trabalharem temas sensíveis, essenciais à formação dos(as) alunos(as) na contemporaneidade, pois, é a partir do questionamento das ações do presente, que encontramos as respostas no passado.

A proposta do presente trabalho consiste na elaboração de uma sequência didático-pedagógica para auxiliar professores(as) de História do 9º ano do ensino fundamental a trabalharem com a temática “Violência doméstica contra a mulher no ensino de História”, a partir da elaboração de estratégias didático-pedagógicas que contemplem a habilidade (EF09HI26) da BNCC (Base Nacional Comum Curricular), e as competências gerais de conhecimento, pensamento científico, crítico e criativo, comunicação, argumentação, autoconhecimento e autocuidado, empatia e cooperação e, dentro das lacunas da BNCC, ensinar o aluno a pensar historicamente. Traremos como suporte legal, a Lei Maria da Penha, os PCN’S (Parâmetros Curriculares Nacionais), as DCN’S (Diretrizes Curriculares Nacionais, a Constituição Federal de 1988 e a LDBEN (Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional). O trabalho visa, com ênfase em um ensino crítico da História, amparado no referencial teórico de SCDHMIDT e CAINELLI (2004), no que tange ao poder do(a) aluno(a) identificar e ordenar elementos da realidade social na interpretação do mundo; SCOOT (1989) e a abordagem do gênero enquanto categoria útil de análise histórica; LOURO (2021), e as práticas educativas atuais referentes ao conceito histórico de gênero. Complementando o referencial teórico, as ideias de Rita Segato sobre a violência perpetrada contra as mulheres, de Carole Pateman, Gerda Lerner, Michele Perrot e Saffioti, sobre a importância de trabalharmos a História das mulheres para compreender a formação do patriarcado e entendê-lo enquanto processo histórico-social que reverbera na violência praticada por homens contra as mulheres . Vale destacar ainda, a teoria das consciências de bell hooks[1] e a importância de suas obras para este trabalho. A pesquisa tem caráter quanti-qualitativo, pois conta com a análise de aplicação de um questionário junto aos(às) alunos(as) do 9º ano do ensino fundamental da Escola Municipal Tiradentes. O produto pedagógico consiste na elaboração de um caderno de sequências didáticas que possam ser aplicadas por professores(as) do 9º ano do ensino fundamental no desenvolvimento de estratégias pedagógicas que estimulem nos(as) alunos(as) o desenvolvimento do pensamento crítico e assim, atuem na prevenção e combate à violência doméstica contra a mulher. A proposta consiste também, em fomentar uma educação como prática para a liberdade.



[1] bell hooks, cujo nome de nascimento é Gloria Jean Watkins, escolheu escrever seu pseudônimo com todas as letras minúsculas como uma forma de desafiar as normas convencionais de pontuação. Em suas próprias palavras, ela explicou que "a escrita em minúsculas é um ato político" que desafia a ênfase na individualidade e na grandeza pessoal que é frequentemente associada ao uso de letras maiúsculas. Desse modo, escrever seu nome em minúsculas é uma forma de resistência e afirmação da identidade cultural e política.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2542464 - FÁBIO ALVES DOS SANTOS
Interno - 2455575 - PATRICIA ROSALBA SALVADOR MOURA COSTA
Interno - 1698052 - MARIZETE LUCINI
Interno - 8426714 - ITAMAR FREITAS DE OLIVEIRA
Externo à Instituição - ELAYNE MESSIAS PASSOS

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2024 - UFRN v3.5.16 -r18960-cc43e1a90e