UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 05 de Outubro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


PROLETRASI

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL EM LETRAS - ITA

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: MEIDIMERE COUTINHO DA SILVA NASCIMENTO
06/09/2022 10:27


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MEIDIMERE COUTINHO DA SILVA NASCIMENTO
DATA: 14/10/2022
HORA: 09:00
LOCAL: vídeoconferência
TÍTULO: A compreensão da sátira e da paródia nos esquetes da produtora de vídeos humorísticos Porta dos Fundos
PALAVRAS-CHAVES: compreensão responsiva, discurso cômico-sério, esquete, produtora Porta dos Fundos, carnavalização.
PÁGINAS: 70
GRANDE ÁREA: Lingüística, Letras e Artes
ÁREA: Lingüística
SUBÁREA: Lingüística Aplicada
RESUMO:

O gênero esquete nas mídias vem passando por profundas transformações e com elas novas estratégias de produção humorística e procedimentos de leitura. Com a ampliação dos meios de transmissão dos esquetes que saem dos teatros para TV e para as novas mídias digitais, observa-se uma maior liberdade para tratar de assuntos polêmicos ou proibidos na sociedade. Grupos independentes de produção de vídeos passam a produzir esquetes com teor crítico que exigem de sua audiência novos procedimentos de leitura, explorando o universo da transgressão e questionamento sobre os valores tradicionais. Dentre a produção de esquetes em canais multidimediáticos no Brasil, apontamos o trabalho da produtora Porta dos Fundos. Julgamos importante analisar esses textos multimodais de teor crítico na sala de aula, visto que eles apontam para a compreensão do discurso cômico-sério que está atrelado ao reconhecimento de visões de mundo que se contrapõem na vida social, bem como representações e estereótipos sociais da realidade brasileira. Para realizarmos esse trabalho de pesquisa, adotamos a perspectiva metodológica do estudo de caso, a fim de observar possibilidades de se trabalhar a leitura de forma crítica com o gênero esquete. Tomaremos como foco de observação, a compreensão dos alunos sobre as cenas produzidas pelo grupo Porta do Fundos que colocam personagens que quebram convenções estabelecidas na sociedade. Utilizamos como procedimentos de análise os princípios da compreensão ativa e valorativa desenvolvida pelos estudos do círculo de Bakhtin. Para tanto, as apreciações recaem sobre processo dialógico entre os personagens e as relações interdiscursivas deflagradoras de discussões polêmicas no âmbito sociocultural. Observamos a manifestação desses discursos por meio da sátira, da paródia e da carnavalização presentes nos esquetes analisadas. Dessa forma se faz pertinente o estudo do gênero esquete na escola, com a finalidade de investigar uma proposta de leitura que vise um olhar crítico do comportamento político, social e cultural brasileiro. Observaremos como a linguagem do humor se constitui e provoca o efeito do riso, considerando estudos do Freud que evocam a questão do riso produzido pelo chiste e os estudos de Bergson que analisam a dimensão do cômico. Diante dessa proposta de pesquisa, propomos um trabalho de análise dialógica dos discursos produzidos pelo Porta dos fundos a fim de estabelecer um caderno de leitura com experiências desenvolvidas em uma turma de 9º ano do Ensino Fundamental no município de Andorinha, Bahia.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1625620 - JOSE RICARDO CARVALHO DA SILVA
Interno - 033.879.514-69 - DENSON ANDRE PEREIRA DA SILVA
Externo à Instituição - César Costa Vitorino

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18065-d9fd593188