UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 25 de Junho de 2018


PPGCR

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS DA RELIGIÃO

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: LUCIANA DOS SANTOS BOMFIM
19/06/2018 04:32


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: LUCIANA DOS SANTOS BOMFIM
DATA: 31/07/2018
HORA: 14:00
LOCAL: A definir
TÍTULO: ÊXTASES DO "EU" EM UM MUNDO DILACERADO: UMA ANÁLISE ESTÉTICO-RELIGIOSA DA POESIA ANJOSIANA
PALAVRAS-CHAVES: Augusto dos Anjos. Literatura. Religião. Teologia da Cultura. Paul Tillich.
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Teologia
RESUMO:

A presente dissertação propõe realizar uma análise estético-religiosa da poesia do poeta paraibano Augusto dos Anjos na sua obra única – intitulada Eu –, partindo da teologia da cultura de Paul Tillich. As reflexões que se desenvolvem ao longo do texto baseiam-se em uma caracterização do eu lírico como tema de si mesmo, ou seja, um eu que por meio da experiência extática expressa a realidade na qual está inserido e dessa maneira, compreende a sua existência no mundo. O título Êxtases do Eu em um mundo dilacerado: uma análise estético-religiosa da poesia anjosiana, trata essa complexa relação do eu e o mundo trazendo para o cerne da questão a dicotomia existente entre a subjetividade e a objetividade. Estruturalmente, objetiva-se no primeiro capítulo, identificar e descrever a obra anjosiana visando a construção e introdução do objeto de estudo, por meio da fortuna crítica do poeta e caracterização do eu lírico em Anjos. O segundo capítulo propõe estabelecer, por meio dos referenciais teóricos definidos, as mediações para a análise estético-teológica da poesia anjosiana em relação à teologia da cultura de Paul Tillich. Finalmente, no terceiro capítulo, o objetivo é analisar os poemas do Eu à luz da relação teologia e literatura na perspectiva da problematização proposta. Considera-se para os objetivos apresentados, portanto, compreender a poesia enquanto produção cultural que realiza uma mediação simbólica entre a existência e o real, e que por meio dessa relação, permite a realização e a expressão poética da incondicionalidade de sentido.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 2116211 - JOE MARCAL GONCALVES DOS SANTOS
Interno - 1274631 - CICERO CUNHA BEZERRA
Interno - 2133998 - CARLOS EDUARDO BRANDAO CALVANI
Externo ao Programa - 1693029 - CARLOS EDUARDO JAPIASSU DE QUEIROZ

SIGAA | Núcleo de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2018 - UFRN v3.5.16 -r4657-8c8918207