UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 05 de Outubro de 2022

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente


PGAB

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOCIÊNCIAS E ANÁLISE DE BACIAS

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: VICTOR MENEZES SANTOS
27/09/2022 16:46


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: VICTOR MENEZES SANTOS
DATA: 05/10/2022
HORA: 15:00
LOCAL: Plataforma Google Meeting
TÍTULO: "PETROGRAFIA E QUÍMICA MINERAL DE ROCHAS METASSEDIMENTARES DO LESTE DO DOMÍNIO MACURURÉ, SISTEMA OROGÊNICO SERGIPANO"
PALAVRAS-CHAVES: Rochas Metassedimentares; Domínio Macururé; Metamorfismo
PÁGINAS: 27
GRANDE ÁREA: Ciências Exatas e da Terra
ÁREA: Geociências
SUBÁREA: Geologia
RESUMO:

O Grupo Macururé representa o conjunto mais expressivo do Domínio Macururé, com afloramentos nos estados da Bahia, Sergipe e Alagoas. Esse domínio, inserido no Sistema Orogênico Sergipano, é formado por sequência clástica representadas por – filitos, ardósias, metarenitos, metarritmitos, metagrauvacas e xistos com intercalações de lentes de rochas metacarbonáticas, calcissilicáticas, itabiritos e rochas metavulcânicas. Este trabalho objetivou estudar a petrografia e mineraloquímica de rochas representativas da porção leste deste domínio, no estado de Sergipe. As rochas identificadas na região foram metapelito, metarritmito e metagrauvaca. Essas rochas apresentam coloração cinza a esverdeada, granulação fina a muito fina, com presença de texturas lepidoblásticas e porfiroblásticas e que preservam estruturas sedimentares primárias (e.g: acamamento deposicional e estruturas rítmicas). A mineralogia essencial destas rochas metassedimentares é composta por muscovita, quartzo, biotita e plagioclásio, e a mineralogia acessória é constituída por minerais opacos, zircão, apatita, clorita, epídoto, bastnaesita e monazita. Os dados de química mineral das rochas metassedimentares permitiram nomear os minerais: o plagioclásio corresponde, principalmente, aos membros albita e oligoclásio; a mica marrom corresponde a Fe-biotita e Mg-biotita; a mica branca posiciona-se em diagramas químicos nos campos da muscovita e fengita, no diagrama de classificação; a granada mostra que os porfiroblastos são ricos na molécula de almandina, com conteúdo menor de piropo, grossulária e esperssartita. Os dados geobarométricos por saturação de Ti em biotita exibem temperaturas de 317 a 687 ºC e pressão de 2,8 a 4,5 kbar para essas rochas metassedimentares. Os valores de temperatura e pressão obtidos pelos geobarômetros encontram-se dentro da faixa de estabilidade esperada para a paragênese mineral em questão, por fim caracterizada como fácies xisto verde a anfibolito.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - JAILMA SANTOS DE SOUZA DE OLIVEIRA
Interno - 043.632.795-32 - JAILSON JÚNIOR ALVES SANTOS
Presidente - 1298067 - MARIA DE LOURDES DA SILVA ROSA

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2022 - UFRN v3.5.16 -r18065-d9fd593188