UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 27 de Outubro de 2021


PROARQ

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ARQUEOLOGIA

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Notícias

Banca de DEFESA: FERNANDA MARTINS DA SILVA LEÃO
14/10/2021 12:30


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: FERNANDA MARTINS DA SILVA LEÃO
DATA: 18/10/2021
HORA: 09:00
LOCAL: remoto
TÍTULO: ESTUDOS GEOARQUEOLÓGICOS DE SÍTIOS DE REGISTROS RUPESTRES NA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO GRANDE, EM BARREIRAS E EM SÃO DESIDÉRIO, BAHIA, BRASIL.
PALAVRAS-CHAVES: Registros Rupestres, Geoarqueologia, Barreiras-BA, São Desidério-BA
PÁGINAS: 237
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Arqueologia
SUBÁREA: Arqueologia Pré-Histórica
RESUMO:

Na área de abrangência da Bacia Hidrográfica do Rio Grande, sub-bacia pertencente à Bacia do Rio São Francisco, ocorrem inúmeros sítios arqueológicos que preservam uma história indígena de longa duração. Entre os anos de 2016 e 2017, nove sítios situados nos atuais municípios de Barreiras-BA e São Desidério-BA foram revisitados e contextualizados pelo Grupo de Estudos AOB da UFOB. Dos nove sítios, seis contém afloramentos rochosos, como áreas abrigadas e escarpadas, propícios para a produção de registros rupestres: sítios Morro dos Tapuias, Derocal, Seu Camé, Gruta das Pedras Brilhantes, Serra do Mimo e Gruta da Beleza. No entanto, somente os cinco primeiros supracitados possuem registros rupestres, sendo os objetos desta pesquisa e estudados em uma perspectiva geoarqueológica desde a micro à macroescala de modo a compreender as interações humanas e escolhas geoambientais das sociedades produtoras de registros rupestres na área de estudo. Em todos os cinco sítios rupestres estudados ocorrem tanto pinturas quanto gravuras. A escolha dos produtores de registros rupestres em fazê-los em cada sítio independeu da ocorrência de corpos hídricos próximos ou mais distantes e dos locais demandarem maior esforço físico para alcançar. O que há em comum é que foram priorizados locais com grandes afloramentos rochosos e que dispõem de áreas abrigadas e com bom sombreamento, contexto semelhante ao encontrado no sítio Gruta da Beleza que, toda via, não foi escolhido para os registros rupestres, talvez por não ter sido um local de passagem pelas sociedades produtoras de registros rupestres ou por outras atividades terem sido priorizadas para área. A diversidade de técnicas e temáticas dos registros rupestres e a variedade de cores e combinações de cores das pinturas, além das sobreposições e diferenciações de superfícies de suportes mais antigas e mais recentes, indicam que os sítios foram intensamente ocupados em momentos distintos, com a apropriação dos espaços por novos ocupantes. As escolhas dos suportes e a posição nos painéis foram distintas para gravuras e pinturas, dependendo da disponibilidade de suportes e tipos de litologia em cada sítio. A ocorrência de pinturas e gravuras nas zonas disfóticas de grutas em alguns sítios podem representar uma forma de ocultação intencional desses registros. Já a ocorrência de gravuras em blocos e matacões abatidos que apresentam brilhos na superfície sinaliza uma intenção de promover destaque às gravuras, independente do brilho nessas rochas ser de origem antrópica ou natural. Os principais fatores de perda dos registros rupestres são a percolação de água nos suportes rochosos e a ação antrópica como o acendimento de fogueiras próximo aos painéis e as pichações. Contudo, o engajamento de condutores turísticos, moradores locais e comunidade científica para a conservação dos sítios e apropriação do conhecimento arqueológico tende a mudar essa realidade, ao passo que essa dissertação é uma contribuição respeitosa a essas pessoas.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1680228 - PAULO JOBIM DE CAMPOS MELLO
Interno - 2583203 - ALBERICO NOGUEIRA DE QUEIROZ
Externo à Instituição - SOLANGE BEZERRA CALDARELLI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r16230-1430a575d5