UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 06 de Maio de 2021


P2CEM

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA E ENGENHARIA DE MATERIAIS

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Notícias

Banca de DEFESA: PAULO HENRIQUE OLIVEIRA JÚNIOR
16/04/2021 02:14


Uma banca de DEFESA de DOUTORADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: PAULO HENRIQUE OLIVEIRA JÚNIOR
DATA: 28/04/2021
HORA: 09:00
LOCAL: VIDEO CONFERÊNCIA
TÍTULO: EFEITO DO MANGANÊS SOBRE A ESTRUTURA CRISTALINA DE HIDROXIAPATITAS CARBONATADAS
PALAVRAS-CHAVES: Hidroxiapatita; óxido de manganês; nanopartículas magnéticas;estrutura cristalina.
PÁGINAS: 90
GRANDE ÁREA: Engenharias
ÁREA: Engenharia de Materiais e Metalúrgica
RESUMO:

O manganês (Mn) pode desenvolver propriedades magnéticas em hidroxiapatitas (HA)
substituídas, assim como o ferro, cobre, cobalto e samário, mas com a vantagem de
também controlar diversas atividades celulares. O tipo e grau de ocupação dos sítios da
HA e a possibilidade de segregação de óxidos desses elementos durante tratamentos
térmicos definem as propriedades magnéticas resultantes. Por essa razão, o objetivo desse
trabalho foi estudar de forma preliminar como ocorre a acomodação do Mn nos sítios de
uma HA carbonatada, bem como seu mecanismo de segregação em temperaturas acima
de 800°C com a formação de nanopartículas de Mn
3O4. Para isso, HAs com cinco
diferentes concentrações de Mn em relação ao cálcio foram sintetizadas pelo método de
precipitação em meio aquoso: (Mn/(Mn+Ca) = 0, 5, 10, 15 e 20 % at. Usando-se
fluorescência de raios X por dispersão de comprimento de onda, difração de raios X,
espectroscopia no infravermelho com transformada de Fourier, microscopia eletrônica de
transmissão e espectroscopia de fotoelétrons de raios X, ficou demonstrando que o Mn
foi inserido na estrutura da HA para todas as concentrações, perturbando
consideravelmente a sua estrutura cristalina. As regiões dos canais hexagonais de
hidroxila sofreram as maiores perturbações, com evidências de ocupação preferencial dos
sítios de Ca2, principalmente para as amostras verdes com alto teor de CO
32- em
substituição ao PO
43-. Quando o CO32- é liberado em alta temperatura e a cristalinidade
aumenta, os sítios de Ca1 parecem mais suscetíveis à ocupação por Mn. Em temperaturas
acima de 1000°C, o Mn tendeu a ser segregado da estrutura da HA na forma de
nanopartículas de Mn
3O4, via canais de hidroxila, ocupando preferencialmente sítios de
Ca2 no estágio final da segregação. A presença de Mn em diversos estados de oxidação
também sugeriu que, além das substituições catiônicas, ocorreram também substituições
aniônicas de MnO
43- nos sítios de PO43-. Na sua concentração mais baixa, o Mn não
apresentou citotoxicidade frente a osteoblastos humanos. Esses resultados são essenciais
na compreensão do comportamento do Mn na HA e sua segregação, sendo fundamental
para o desenvolvimento de novas estratégias para a produção de arcabouços magnéticos
ativos baseados em hidroxiapatita no futuro.


MEMBROS DA BANCA:
Externo à Instituição - ANDREA MACHADO COSTA
Presidente - 1694103 - EULER ARAUJO DOS SANTOS
Interno - 2326669 - LUIS EDUARDO ALMEIDA
Interno - 1338723 - ROSANE MARIA PESSOA BETANIO OLIVEIRA
Externo ao Programa - 1658460 - VICTOR HUGO VITORINO SARMENTO

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r14842-e542cb782b