UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 26 de Janeiro de 2021


PPGCF

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM CIÊNCIAS FARMACÊUTICAS

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Notícias

Banca de DEFESA: MARLON CLAUDENER DOS SANTOS DANTAS
07/01/2021 07:45


Uma banca de DEFESA de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: MARLON CLAUDENER DOS SANTOS DANTAS
DATA: 29/01/2021
HORA: 09:30
LOCAL: Online
TÍTULO: ZEBRAFISH COMO MODELO ANIMAL PARA ESTUDO DE DOENÇAS NEURODEGENERATIVAS RELACIONADAS AO ENVELHECIMENTO: uma revisão sistemática
PALAVRAS-CHAVES: Danio rerio; Zebrafish; Sistema Nervoso Central; Modelo Animal
PÁGINAS: 119
GRANDE ÁREA: Ciências da Saúde
ÁREA: Farmácia
RESUMO:

À medida que as populações envelhecem, doenças neurodegenerativas relacionadas à idade, como Doença de Alzheimer, Doença de Parkinson e Esclerose Lateral Amiotrófica tornam-se mais comuns. No entanto, os mecanismos pelos quais essas doenças se desenvolvem ainda não foram bem elucidados dentro da neurobiologia. Dessa forma, o Zebrafish (Danio rerio) emerge como um modelo farmacológico alternativo para entender a complexidade da neurociência, apresentando como vantagens à similaridade genética aos humanos, o tamanho relativamente pequeno, a transparência óptica e o ciclo de vida. Contudo, é necessário o acompanhamento da visão geral sobre as abordagens avaliadas nesses modelos para indução eficaz da patologia. Portanto, o objetivo desse trabalho consiste em compilar evidências sobre o uso do zebrafish como modelo animal para doenças neurodegenerativas relacionadas ao envelhecimento. Uma revisão sistemática foi elaborada de acordo com a metodologia PRISMA, a fim de responder à pergunta: O zebrafish (Danio rerio) pode ser utilizado como modelo animal para estudar doenças neurodegenerativas relacionadas ao envelhecimento? Para isso, uma busca de dados foi realizada nas bases: Pubmed, Scopus, Web of Science, Embase e Lilacs, a partir dos descritores relacionados a “Zebrafish”, “Central nervous system”, “Models, animal”, e seus derivados, a fim de identificar os artigos publicados até fevereiro de 2020. Dois pesquisadores independentes realizaram a triagem dos artigos, através da leitura dos títulos, resumos, textos complementos; avaliação da qualidade metodológica; e, dados extraídos das análises incluídas. As discrepâncias foram avaliadas por um terceiro revisor. A busca nas bases de dados selecionadas identificou 1.192 estudos que após a análise dos critérios de inclusão resultaram em 43 estudos incluídos. Destes, 11 induziram Doença de Alzheimer, 21 induziram Doença de Parkinson e 11 induziram Esclerose Lateral Amiotrófica em zebrafish. Dentre eles, 38 artigos avaliaram as características patológicas, 30 estudos avaliaram a alteração de comportamento e 20 estudos avaliaram a capacidade de resposta a intervenção. Os métodos mais utilizados para investigar a características fenotípicas dos modelos foram: A reação quantitativa em cadeia de polimerase em tempo real (RT-PCR) (n=29); Western blot (n=24); hibridização in situ (n=23) e análise imuno-histoquímica (n=23). Apesar da identificação de resultados promissores sobre o uso do zebrafish como modelo animal para estudo de doenças neurodegenerativas, ainda são poucos os estudos com metodologias bem delineadas, que possam determinar parâmetros para uma translação pré-clínica bem-sucedida.


MEMBROS DA BANCA:
Presidente - 1964297 - CRISTIANI ISABEL BANDERO WALKER
Externo à Instituição - KRISTIANA CERQUEIRA MOUSINHO
Interno - 2030649 - MAIRIM RUSSO SERAFINI

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2021 - UFRN v3.5.16 -r13869-3ae4986fd4