UFS › SIGAA - Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas São Cristóvão, 17 de Abril de 2024

A UFS preocupa-se com a sua privacidade

A UFS poderá coletar informações básicas sobre a(s) visita(s) realizada(s) para aprimorar a experiência de navegação dos visitantes deste site, segundo o que estabelece a Política de Privacidade de Dados Pessoais. Ao utilizar este site, você concorda com a coleta e tratamento de seus dados pessoais por meio de formulários e cookies.

Ciente

PPGEO

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM GEOGRAFIA

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Notícias

Banca de QUALIFICAÇÃO: DOUGLAS SOUZA DE JESUS
08/04/2024 09:17


Uma banca de QUALIFICAÇÃO de MESTRADO foi cadastrada pelo programa.
DISCENTE: DOUGLAS SOUZA DE JESUS
DATA: 11/04/2024
HORA: 09:00
LOCAL: Auditório do PPGEO, Didática II, 1º andar
TÍTULO: Programas habitacionais em Salgado-Se e a produção capitalista do espaço
PALAVRAS-CHAVES: Política habitacional, produção do espaço
PÁGINAS: 50
GRANDE ÁREA: Ciências Humanas
ÁREA: Geografia
SUBÁREA: Geografia Humana
RESUMO:

A dinâmica de produção do espaço sob a égide do sistema capitalista impõe aos sujeitos a usurpação das suas necessidades básicas, tendo como elemento central a propriedade privada que se materializa como condicionante social diante e distante daquilo que os sentidos podem alcançar a partir da alienação cotidiana. Como em uma relação de coexistência (des)harmônica, criador e criatura disputam o mesmo espaço com objetivos distintos. Enquanto alguns são colocados como sujeitos antagônicos a partir da exploração constante da sua força de trabalho e a negação da vida em sua plenitude, o outro lado se reproduz sob um movimento dialético de cooptação das forças produtivas, e como tal, dos sujeitos. Entre os instrumentos que são base para reprodução do capital, o Estado atua como um dos mais significativos, ao aglutinar de modo político-institucional os contratos sociais pré-estabelecidos. Em consequência, é nesse campo de disputas, que políticas públicas como o Casa Nova, Vida Nova e o Minha Casa, Minha Vida inserem-se sob um circuito produtivo que se apresentam como distinto e desenvolvimentista do ponto de vista político e homogêneo quando se propõe como solução para o déficit habitacional, utilizando o mercado imobiliário enquanto discurso de inflexão das demandas sociais por habitação. É tendo como ponto de partida a dissolução dessa problemática, que se origina a questão central dessa pesquisa: Como a confluência de duas políticas habitacionais colaborou com a produção do espaço em Salgado, no estado de Sergipe, entre os anos de 2007 e 2020? Nesse contexto, propomos explicar a crise do sistema capitalista a partir da década de 1970 e a sua influência sob um novo modo de acumulação financeira na produção do espaço sergipano. Desse modo, a partir do município de Salgado-Se, pretende-se discutir as políticas habitacionais, como instrumento de galvanização dos interesses coletivos, buscando nas linhas dos interesses socias as contradições para o que foi transformado em interesse de mercado.


MEMBROS DA BANCA:
Interno - 2298414 - ANA ROCHA DOS SANTOS
Externo à Instituição - JANIO LAURENTINO DE JESUS SANTOS
Presidente - 3299294 - JOSEFA DE LISBOA SANTOS

SIGAA | Superintendência de Tecnologia da Informação/UFS | Telefonista/UFS (79)3194-6600 | Copyright © 2009-2024 - UFRN v3.5.16 -r19100-31f4b06bdf